Autoridades investigam suspeita de rubéola dentro de navio de cruzeiros no Porto de Santos, SP

MSC Seaview atracou no começo da manhã deste sábado (16), em Santos — Foto: Nina Barbosa/G1MSC Seaview atracou no começo da manhã deste sábado (16), em Santos — Foto: Nina Barbosa/G1

MSC Seaview atracou no começo da manhã deste sábado (16), em Santos — Foto: Nina Barbosa/G1

Equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Secretaria de Saúde de Santos investigam prováveis casos de rubéola em tripulantes do navio MSC Seaview, que atracou na manhã deste sábado (16), no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. A empresa ainda não se posicionou sobre o caso.

De acordo com informações apuradas pelo G1, o maior navio da temporada brasileira chegou por volta das 5h30 em Santos. Com capacidade para 5.429 passageiros, ele veio de Ilha Grande (RJ), após cruzeiro de sete noites em Salvador, Ilhéus (BA) e Búzios (RJ). Por volta das 19h, segue para Balneário Camboriú, em mini roteiro de quatro noites no litoral sul do País.

Logo que a embarcação atracou no cais santista, equipes da Anvisa e da Prefeitura de Santos entraram no navio. A Secretaria de Saúde de Santos informou que uma equipe de saúde, composta por três médicos e seis profissionais de enfermagem entraram na embarcação para dar suporte técnico à Anvisa e a investigação de prováveis casos de rubéola em tripulantes do navio.

De acordo com informações obtidas pelo G1, na manhã deste sábado, o navio emitiu um comunicado sonoro orientando os turistas. Os passageiros e bagagens foram liberados para desembarque. Já a tripulação não foi liberada e os funcionários que estão com a suspeita da doença permanecem isolados em suas cabines.

Segundo a Prefeitura de Santos, caso haja confirmação dos casos de rubéola, o próximo passo será fazer vacinação de bloqueio imediatamente em pessoas próximas dos pacientes.

G1 entrou em contato com a MSC, responsável pelo navio, mas a empresa ainda não se posicionou sobre o assunto até a publicação desta reportagem.

Navio está atracado no Porto de Santos, SP — Foto: Nina Barbosa/G1Navio está atracado no Porto de Santos, SP — Foto: Nina Barbosa/G1

Navio está atracado no Porto de Santos, SP — Foto: Nina Barbosa/G1

Rubéola

A doença, também conhecida como “sarampo alemão”, é causada por vírus. O paciente apresenta febre baixa, manchas na pele, dor de cabeça e nas articulações, gânglios aumentados no pescoço e atrás da orelha, entre outros. A transmissão acontece por via direta, de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar.

Não há tratamento específico para a rubéola. Em caso de suspeita, a pessoa deve imediatamente procurar orientação médica. Quando o vírus é contraído por mulheres no início da gravidez, pode levar ao aborto ou a defeitos congênitos como surdez, cegueira e problemas cardíacos no bebê.

A vacina Tríplice viral protege contra a rubéola, o sarampo e a caxumba. O público alvo são, principalmente, crianças. A primeira dose deve ser aos 12 meses de idade e a segunda aos 15 meses. Os adultos que não foram vacinados na infância devem tomar dose única.

Vacina tríplice viral protege contra caxumba, rubéola e sarampo — Foto: Cristine Rochol/PMPAVacina tríplice viral protege contra caxumba, rubéola e sarampo — Foto: Cristine Rochol/PMPA

Vacina tríplice viral protege contra caxumba, rubéola e sarampo — Foto: Cristine Rochol/PMPA

Fonte: https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/porto-mar/noticia/2019/02/16/autoridades-investigam-suspeita-de-rubeola-dentro-de-navio-de-cruzeiros-no-porto-de-santos-sp.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *